Web Rádio

Quebrando recordes negativos, Brasil sofre nova pane e perde para a terceira colocada Holanda: 3 a 0

13 JUL 2014
13 de Julho de 2014
Por Gabriel Araújo

Mais uma derrota. Mais uma pane. Adicionando um ruim modo de preparo aos fracos ingredientes da humilhação perante a Alemanha, o Brasil perdeu neste sábado (12) para a Holanda por 3 a 0 e, queimando a receita, deu adeus à Copa do Mundo que sediou com mais uma atuação abaixo do medíocre, encerrando sua participação com o quarto lugar – a Laranja Mecânica garante o terceiro posto. 

Felipão mudou a escalação para a partida. Buscando maior marcação na lateral esquerda, colocou Maxwell, que ainda não havia atuado no Mundial, na vaga de Marcelo. Ainda sem o lesionado Neymar, que ainda assim viajou com a delegação para Brasília, local do jogo, o treinador optou por entrar com Jô, Willian, Ramires e Paulinho, acrescendo um volante e sacando Bernard, Hulk e Fred. 

Apesar de tantas mudanças, a casa brasileira começou a desmoronar logo aos dois minutos, quando Thiago Silva, retornando de suspensão, cometeu falta em Robben fora da área. O árbitro, porém, assinalou pênalti, convertido por Van Persie. 1 a 0. 

Ali começou a nova pane da Seleção. O novo apagão. A marcação, que aparentava estar com tanque cheio e bem reforçada, ficou sem combustível ainda no início, já que aos 16 De Guzmán recebeu nas costas de Maxwell e cruzou. David Luiz até cortou, mas na sobra, livre, Blind marcou mais um. 2 a 0. 

O placar poderia ter sido ampliado pelos holandeses, que não aproveitaram os problemas emocionais, técnicos, psicológicos, táticos do time de Felipão, e até agredidos foram no restante do primeiro tempo, porém sem sucesso do ataque brasileiro, que sentiu falta de uma referência – no caso, Fred, substituído pelo fraco Jô. Mesmo assim, o Brasil finalizou mais do que a Holanda na etapa inicial: 3 contra 2. O problema é que as duas bolas do time de Louis Van Gaal entraram. 

Para o segundo tempo, Scolari mexeu. As entradas de Fernandinho e Hernanes nos lugares, respectivamente, de Luiz Gustavo e Paulinho não surtiram efeito. Faltava agressividade ao Brasil, que teve como melhor lance um avanço de Ramires, também substituído na sequência: Hulk entrou em sua vaga e pouco fez. 

Nos momentos finais, com a vitória já decretada, Van Gaal, que deixa a seleção holandesa para dirigir o Manchester United e será substituído por Guus Hiddink, aproveitou para bater recordes: colocou o terceiro goleiro Vorm e, assim, utilizou todos os jogadores disponíveis no elenco. É a primeira vez que isso acontece na história dos Mundiais. 

Como é a primeira vez que o Brasil sofre 14 gols em um só torneio, com o golpe faltal de Wijnaldum no último lance – 3 a 0. Para um time lamentável, defesa canarinho mais vazada em 20 Copas, e com o goleiro que mais sofreu gols em sua história: Júlio César soma os tomados neste Mundial com os levados em 2010 e, assim, ultrapassa a triste marca que era de Taffarel – titular em 1990, 94 e 98.

E fim de papo com a Holanda assumindo o posto de nova rainha do número três: 3 a 0 no jogo, terceira colocada da Copa do Mundo, e primeiro time a vencer o Brasil três vezes em Mundiais (1974, 2010, 2014).



Voltar

Web Rádio Premium Esportes. O seu esporte no caminho do bem!