Web Rádio

O sabor do futebol brasileiro

15 AGO 2014
15 de Agosto de 2014

Por Luíz Alexandre Eiras

Quem aqui não gosta de um bom prato? Não sai para algum lugar pensando em onde vai comer? O que vai comer?

Mais que isso, alguns inclusive acham que alguns pratos ou quitutes combinam com algumas atrações ou diversões ao ponto de sem eles a atração perderem o seu valor, um exemplo é o cinema que sem a boa e velha pipoca é quase como ir a uma cidade litorânea e não ver o mar. Não é verdade?

Pois é! Nos estádios de futebol, a culinária também tem marcado sua presença ao longo da história. Pratos que festejam vitórias são os mesmos que consolam as derrotas.

É bem verdade que muitos pratos talvez nunca tenham feito parte do “menu” dos estádios, nunca tiveram a oportunidade de serem degustados com os olhos voltados para a bola e só estiveram e ainda se estão presentes nos arredores dos estádios, sendo comercializados em barraquinhas, carros, lanchonetes, etc.

Alguns pratos se justificam em alguns estádios pela condição climática da região, outros pela cultura local, outros são frutos de ideias mirabolantes e que caíram no gosto popular.

Feijão tropeiro do Mineirão é uma tradição

O amigo que visita o Mineirão em Belo Horizonte/MG, não tem como sair de lá sem provar o feijão tropeiro, esse prato que tem em seus ingredientes farinha de mandioca, torresmo, couve, um feijãozinho fresquinho e trás de acompanhamento a linguiça e um ovo frito.

Em Salvador/BA, o torcedor que vai a Fonte Nova saboreia em seu redor o bom e tradicional Acarajé.

Já o público paulistano, que frequenta os estádios do Pacaembu, o Antigo Palestra Itália, o Morumbi e agora a “padrão FIFA” Arena Corinthians ou popularmente chamada “Itaquerão”, se delicia com um calórico mais não menos saboroso Sanduíche de Pernil.

Ainda dentro dos estádios paulistanos outras delicias como o Cannoli (um canudo de massa folhada, com açúcar, canela e recheio de chocolate) faz a alegria dos torcedores juventinos da Mooca.

No Canindé, estádio da Portuguesa de Desportos, o Tremoço (uma espécie de milho) é vendido lá mesmo no estádio e é um elemento importante para quem senta nas arquibancadas lusitanas e os bolinhos de bacalhau feitos nos bares de origem portuguesa próximos ao estádio também são “qualquer coisa” de espetaculares.

O torcedor que for até a Rua Javari e não provar os tradicionais cannolis, literalmente não visitou a Mooca direito

Quem visita o estádio do Bragantino em Bragança Paulista precisa conhecer os sabores da tradicional e conhecida linguiça de Bragança, em lanches caprichados feitos dentro do próprio estádio e também nos arredores.

Os torcedores do Coritiba saboreiam sempre antes dos jogos o famoso e delicioso Pão com bife.

Em Porto Alegre quem visita as novíssimas arenas de Grêmio e Internacional desfrutam de um fantástico Xis-Coração, esse lanche que certamente vai deixar qualquer um satisfeito é um lanche que vem recheado com corações de galinha, salada, maionese, milho, queijo e até um ovo frito. E, claro, prensado, pois se não for prensado “não é Xis”.

O Xis-Coração também é bem tradicional, principalmente em Porto Alegre

Em Goiânia a pamonha frita, composta por uma massa de milho com queijo e tempero (doce ou salgado) faz a festa dos amigos que visitam o Serra Dourada.

Os amigos pernambucanos do Recife gostam da simplicidade e do sabor tradicional dos espetinhos de frango, frango com bacon, salsichão, queijo coalho, carne antes de vivenciar as emoções do futebol.

Para concluirmos essa matéria que enche a boca de água chegamos ao Rio de Janeiro, onde os amigos que visitam São Januário (estádio do Vasco) experimenta um bom Crepe.

Já no mais importante estádio do País, o Maracanã, você pode degustar o salsichão, o ovo de codorna e o bom e velho cachorro quente.

Pois é, agora é só escolher o jogo e o sabor, pois a bola vai rolar e a fome vai chegar.

Voltar

Web Rádio Premium Esportes. O seu esporte no caminho do bem!