Web Rádio

Seminário 'Política FC - o Futebol na Ditadura' discute ligação de futebol com política em São Paulo

03 JUN 2014
03 de Junho de 2014
2014 é um ano importante para o povo brasileiro. Marca a realização da segunda Copa do Mundo no Brasil, os 60 anos do suicídio de Getúlio Vargas, os 20 da conquista do tetracampeonato, os 30 anos da campanha pelas Diretas Já e, infelizmente, os 50 do Golpe Militar. 

Para muitos, futebol e política são como água e azeite: não se misturam. Porém, ao longo das décadas observamos que, de uma forma ou de outra, ambos se cruzam e trilham os mesmos caminhos.

Além de conquistar torcedores, o futebol despertou nos políticos uma atração poderosa, que o transformou numa importante plataforma rumo ao poder.

Foram aspectos como esses que levaram à criação da exposição “PolíticaF.C. – o futebol na ditadura”, que entra em cartaz no Memorial da Resistência de São Paulo no próximo dia 14 de junho.

A proposta é apresentar ao torcedor momentos importantes da história nacional e do mundo em que futebol e política se misturaram. O foco principal é mostrar como a ditadura brasileira usou imagem da Seleção, especialmente na Copa de 1970, para vender ao povo e ao resto do mundo a falsa ideia de que o Brasil estava se transformara numa potência dentro e fora dos gramados.

Mas, antes da abertura da exposição, convidamos o público a discutir essa intrigante relação entre política e futebol num seminário que reunirá historiadores, jornalistas e ex-jogadores para debater diferentes aspectos deste assunto.

Com entrada franca e certificado de participação, o público acompanhará cinco dias de discussões, exibição de filmes e relatos que provam que política e futebol são tão entrosados quanto as tabelinhas de Pelé e Tostão.

Confira a programação**:

DIA 03 DE JUNHO (TERÇA-FEIRA)
13h às 15h30: Mesa-Redonda “O futebol explica o mundo e o Brasil”
Esta mesa-redonda tem como objetivo discutir a influência do futebol na construção da identidade nacional do Brasil, mostrando como ao longo dos séculos o esporte foi utilizado pelos políticos.

Participantes:
- Flávio de Campos - (Historiador, professor do curso de pós-graduação História Sociocultural do Futebol e coordenador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Sobre Futebol e Modalidades Lúdicas – LUDENS)

- José Paulo Florenzano - (Cientista social, graduado, mestre e doutor em Ciências Sociais pela PUC-SP. É professor da PUC-SP e realiza o pós-doutorado sobre o Santos Futebol Clube)

- Ednilson Valia (Jornalista, atua na área há mais de 20 anos. Cobriu quatro Copas do Mundo e três Olimpíadas. Desenvolve cursos sobre jornalismo esportivo com ênfase na prática. Foi pioneiro nas transmissões ao vivo pela internet. Trabalha no Portal Terceiro Tempo)

15h45 às 18h: exibição do filme “O Ano que meus pais saíram de férias”
É 1970 e o Brasil vai entrar em campo para lutar pelo tricampeonato na Copa do México. Mauro, de 12 anos, adora futebol, mesmo o de botão, e está ansioso para o início do torneio. Sua idade não o deixa perceber que o país passa por um dos momentos políticos mais delicados de sua história, com um governo militar ditatorial, que suprimiu todas as formas de liberdade. Inclusive a de seus pais, que, por serem de esquerda, são obrigados a viver na clandestinidade e a deixá-lo com o avô, mas este falece. (Direção: Cao Hamburger)

Debate:
- Domingos Fernandes (Ex-preso político. Militante da Ação Libertadora Nacional, foi um dos presos trocados pelo embaixador alemão, em 1970, em ação ocorrida durante a Copa do Mundo).

- Helvídio Mattos (Jornalista. Muitas vezes premiado, trabalha na área de esportes desde os anos 1970. Está na ESPN Brasil desde 1996, onde é Coordenador de Especiais. Teve passagem marcante pela TV Cultura, com os programas Vitória e Grandes Momentos do Esporte)

Moderador:
- Celso Unzelte (Jornalista. Considerado o maior historiador do Corinthians. Tem participações em jornais, revistas e sites. Participa do programa “Loucos por Futebol”, da ESPN Brasil. É professor de jornalismo da Cásper Líbero)

DIA 04 DE JUNHO (QUARTA-FEIRA)
13h às 15h30: Mesa-Redonda “Lugar de política... é no estádio”
A ideia desta mesa-redonda é mostrar como os estádios de futebol no Brasil – e no mundo – tornaram-se importantes para o fazer política. Será discutido como políticos de diferentes correntes se utilizaram deste expediente.

Participantes:
- Bernardo Borges Buarque de Hollanda - (Cientista social. Doutor em História Social da Cultura (PUC-RJ). Pós-doutorado na Maison des sciences de l’homme (MSH-Paris). É professor adjunto da Escola Superior de Ciências Sociais e pesquisador do CPDOC, da Fundação Getúlio Vargas (RJ). Autor de diversos livros sobre o tema) 

- Denaldo Alchorne de Souza - (Historiador. Doutor em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), pós-doutorando pelo Núcleo Interdisciplinar de Estudos Sobre Futebol e Modalidades Lúdicas - LUDENS. Atua em estudos que abordam a construção da identidade nacional através do futebol)

- Alberto Helena Jr - (Jornalista. Foi redator e diretor de redação da agência Interpress, trabalhou na Folha de S. Paulo (SP), na revista O Cruzeiro (RJ) e no Jornal da Tarde (SP), Trabalha como comentarista no SporTV)

Moderador:
- Milton Bellintani (Jornalista e professor universitário, foi editor de diversas publicações da Editora Abril de 1987 a 2001. Cobriu a Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos. É diretor do Núcleo de Preservação da Memória Política)

- 15h45 às 18h: exibição do filme "João Saldanha”
Jogador, técnico, jornalista e polemista, João Saldanha (1917-1990) sempre foi bom de briga. O filme visita os principais fatos que marcaram a vida de Saldanha, um homem sempre envolvido nos grandes acontecimentos do país, especialmente na luta pela democracia, futebol e cultura. (Direção: André Iki Siqueira e Beto Macedo)

Debate:
- André Iki Siqueira (Escritor, jornalista, documentarista. Autor do livro “João Saldanha, uma vida em jogo” e co-diretor do filme “João”, sobre a vida de João Saldanha)

- Luis Menon - (Jornalista. Formado em engenharia, atua como jornalista desde 1988. Tem passagens pelo portal Trivela e Agora e Jornal da Tarde. É autor dos livros "Os 11 Maiores Goleiros do Futebol Brasileiro" e "Nascido Para Vencer". É colunista do UOL)

Moderador:
- Vanessa Gonçalves (Jornalista, subeditora do Portal IMPRENSA. Pós-graduada em jornalismo esportivo e negócios do esporte, atuou sete anos como redatora, editando revistas e materiais publicitários. Diretora do Núcleo de Preservação da Memória Política, é autora do livro “Eduardo Leite Bacuri”)

DIA 05 DE JUNHO (QUINTA-FEIRA)
13h às 15h30: Mesa-Redonda “90 milhões em ação?”
Esta Mesa tem como objetivo discutir o uso da seleção brasileira pela ditadura militar como imagem do “Brasil Grande”. Ainda debaterá a presença do comunista João Saldanha no comando da seleção de 1970 e a implicações da militarização da comissão técnica naquele período.

Participantes:
- Lívia Magalhães (Historiadora. Mestre em Estudios Latinoamericanos pelo Centro de Estudios Latinoamericanos da Universidad Nacional de San Martín, Argentina (2008); doutora em História Social pela Universidade Federal Fluminense (2013). Autora do livro “Histórias do Futebol”. Escreve nos blog Clube da Bolinha, por Luluzinhas e Hispanic American Historial Review, da Universidade de Duke. É membro do Núcleo de Estudos Contemporâneos da UFF)

- Juarez Soares (Jornalista, começou a carreira 1958, quando foi convidado para trabalhar na rádio Cultura de Lorena (SP). Em agosto de 1968, foi contratado como repórter esportivo da Equipe 1040, na rádio Tupi. Na Excelsior, comandou com Osmar Santos o programa Balancê. Tem passagens pela TV Excelsior, Globo (de 1974 a 1982), Record e Bandeirantes, onde integrou a equipe do Show do Esporte, comandada por Luciano do Valle. Em 1994, transferiu-se para o SBT, onde trabalhou até o ano 2000)

- Silvio Lancellotti (Jornalista e arquiteto, iniciou duas carreiras simultaneamente, em 1968. Integrou a equipe que fundou a revista Veja. Em 1972, foi estudar jornalismo na Universidade de Stanford (EUA) e acabou cobrindo três grandes fatos: as mortes de Martin Luther King e Bobby Kennedy e a reeleição de Richard Nixon. Foi diretor de redação da Vogue e aderiu ao time de Mino Carta na revista IstoÉ, como secretário de redação e editor-chefe. Também colaborou com O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo. Na televisão, apresentou programas gastronômicos e foi comentarista esportivo nas redes Record, Manchete e Bandeirantes e ESPN Brasil. Escreve um blog no portal R7)

- Eduardo Roberto Stinghen (Ado) -  (Começou a carreira no Londrina (PR) em 1966. Foi goleiro do Corinthians de 1969 a 1974 e reserva de Félix na seleção brasileira de 1970. Jogou no América (RJ) em 74, no Atlético Mineiro em 75, Portuguesa em 76, no Velo Clube (SP) e no Santos em 76, Ferroviário (CE) em 77, Fortaleza (CE) de 78 a 80 e Bragantino em 82)

Moderador:
- Vanessa Gonçalves

15h45 às 18h: exibição do filme “Copa de 70”
O documentário baseia-se na edição dos depoimentos concedidos por 14 ex-atletas que participaram da copa de 1970, no méxico. Com imagens autorizadas pela Fifa, o filme narra a versão dos jogadores acerca dos preparativos, dos jogos e do retorno da equipe tricampeã ao Brasil. (direção: Bernardo B. Buarque de Hollanda)

Debate:
- Gilvan Ribeiro (Jornalista, começou a carreira colaborando para a revista Globo Rural, enquanto terminava a faculdade. A partir daí, construiu toda a carreira na editoria de Esportes. Em 1987, passou a trabalhar na Folha de S.Paulo e depois na Folha da Tarde. Em 1991, transferiu-se para o Diário Popular, que depois adotaria o nome Diário de S.Paulo, onde ficou até 2013. Passou pela TVA  Sports, depois Espn Brasil, entre 1994 e 1998. Co-autor do livro "Casagrande e Seus Demônios", biografia de Walter Casagrande)

- Milton Saldanha (Jornalista. Idealizador do jornal Dance, onde é editor e jornalista responsável. Foi repórter e exerceu cargos de chefia em alguns dos principais veículos do País, como a Rede Globo, os jornais O Estado de S.Paulo (SP) e Jornal da Tarde (SP), o Diário do Grande ABC (SP), a revista Motor 3 (SP), a Folha da Manhã (RS) e outros. Foi repórter do Última Hora (SP). Sobrinho de João Saldanha. É autor do livro "O País Transtornado")

Moderador:
- Vanessa Gonçalves

DIA 06 DE JUNHO (SEXTA-FEIRA)
13h às 15h30: Mesa-Redonda “Condor nas canchas”
As ditaduras latino-americanas utilizaram o futebol como propaganda de seus governos. Esta mesa-redonda tem como objetivo apresentar esses casos e discutir as consequências disso.


Participantes:
- Luiz Cláudio Cunha (Jornalista, começou a carreira em 1969, como locutor da rádio Londrina ZYD-4, e depois como redator da Folha de Londrina, no Paraná. Passou por veículos como Rede Brasil-Sul de Comunicação (RBS), Zero Hora, Veja, Realidade. Em 1973, assumiu a chefia da sucursal da Editora Abril em Porto Alegre. No ano de 1978, alertado por um telefonema anônimo, ele e o fotógrafo da revista Placar, João Batista Scalco, testemunham em Porto Alegre uma ação da Operação Condor. Vencedor do Prêmio Esso de jornalismo)

- Humberto Kinjô - (Ex-exilado político, esteve no Chile durante o golpe militar. Conseguiu entrar numa embaixada após enganar o guarda sobre uma camisa de Roberto Rivellino, jogador da seleção brasileira)

- Clayton Netz - (Jornalista e ex-preso político. Redator-chefe da revista IstoÉ Dinheiro, foi perseguido pela ditadura militar, chegando a ter que se asilar no Chile, sendo um dos presos no Estádio Nacional)

Moderador:
- Milton Bellintani

15h45 às 18h: exibição do filme “Estádio Nacional”
O filme mostra como o principal campo de futebol do Chile – onde o Brasil conquistou a Copa do Mundo de futebol de 1962 – foi transformado em centro de detenção, tortura e assassinato de opositores nos meses seguintes ao golpe de Estado dado pelo general Augusto Pinochet, no dia 11 de setembro de 1973. (Direção: Carmen Luz Parot)

DIA 07 DE JUNHO (SÁBADO)
13h às 15h30: Mesa-Redonda “Perseguidos”
Jogadores de futebol e militantes políticos foram perseguidos durante o regime militar por se oporem à ditadura. Nesta mesa-redonda, estes personagens vão contar suas histórias e mostrar como política e futebol se misturam.

Participantes:
- Afonso Celso Garcia Reis (Afonsinho) – (Ex-jogador. Polêmico, foi o primeiro jogador a brigar pela Lei do Passe no Brasil. Por suas posições de esquerda, foi fichado no DOPS e convidado a integrar organizações de luta contra o regime)

- Fernando Coimbra (Nando) – (Ex-jogador. Irmão de Zico, foi perseguido e preso pela ditadura militar por ter participado do Plano Nacional de Alfabetização. Único ex-jogador anistiado)

- José Reinaldo de Lima (Reinaldo) – (Ex-jogador. Declaradamente de esquerda, fez duras críticas à ditadura militar. Na Copa de 1978, foi avisado para não comemorar os gols com punhos cerrados, mas mesmo assim repetiu o gesto)

- Manoel Cyrillo – (Publicitário. Ex-preso político, militava na Ação Libertadora Nacional-ALN e participou do sequestro do embaixador americano, em 1969)

Moderador:
- Vanessa Gonçalves

- 15h45 às 18h: exibição do filme "Ser Campeão é Detalhe"
O documentário conta as origens e o desenvolvimento da Democracia Corintiana que proporcionou uma maior liberdade de expressão e organização dos jogadores do Corinthians, conquistando o bicampeonato paulista em 1982 e 1983. (direção: Gustavo Forte Leitão e Caetano Biasi)

Debate:
- Gustavo Longhi de Carvalho - (Jornalista, engenheiro mecânico, professor e pesquisador jornalístico. Tem textos ligados a esportes publicados em jornais e revistas. Colaborou com diversos livros. É autor de "Infográficos das Copas", em parceria com Rodolfo Rodrigues; "Copas do Mundo das Eliminatórias ao Título", com José Renato Sátiro Santiago Junior, e "Milani - O artilheiro aviador")

- José Paulo Florenzano - (Cientista social, graduado, mestre e doutor em Ciências Sociais pela PUC-SP. É professor da PUC-SP e realiza o pós-doutorado sobre o Santos Futebol Clube)

- Cláudio Roberto Sollito (Solito) -  (Lançado na equipe profissional corintiana em 1975. Jogou pelo Taubaté (SP) e Náutico, antes de retornar ao Corinthians para ser bicampeão paulista (1982-1983). Foi o titular da equipe na primeira fase da Democracia Corintiana. Atualmente, joga no time de masters do Corinthians)

Moderador:
- Vanessa Gonçalves

SERVIÇO:
Seminário "Política F. C. - O futebol na ditadura"
Local: Memorial da Resistência de São Paulo
Endereço: Largo General Osório, 66 – Luz - Auditório Vitae – 5º andar
Período: de 03 a 07 de junho de 2014, das 13h às 18h
Entrada: Franca*

* O auditório tem capacidade para 160 pessoas.  Ingressos para cada mesa deverão ser retirados na portaria com 30 minutos de antecedência

A WEB RÁDIO PREMIUM ESPORTES APÓIA O PROJETO 'POLÍTICA FC - O FUTEBOL NA DITADURA', E PARABENIZA TODOS OS ENVOLVIDOS NO EVENTO.
PARA TER ACESSO AO CONTEÚDO DO POLÍTICA FC, ACESSE A SEÇÃO 'EQUIPE' E CLIQUE NO BANNER, LOCALIZADO A SUA ESQUERDA.
Voltar

Web Rádio Premium Esportes. O seu esporte no caminho do bem!